A historia da minha comunidade, o Quilombo Frechal

10639635_536610393106479_1556027205100253970_nOla eu sou Valdilene Mondego, moro no Quilombo Frechal no Maranhão, município de Mirinzal. Minha comunidade é uma reserva extrativista e eu vou contar como tudo começou, tal como a historia foi contada pelo meu Tio Ignácio.

Um sonho sapara

Dibujo_YandaNuestro amigo Yanda tiene sueños interesantes todos los dias. A vezes sueña con la Pachamama, otros dias con la luna, con animales y otras cosas. Cuando se recuarda, Yanda dibuja sus sueños. Antes de ayer en la Casa de Cultura Tainá encontró la diseñadora grafica Camila y juntos pusieron color a un pequeño dibujo hecho. Segun Yanda “es una mujer que quando habla la salen pajaros coloridos de la boca.”

Mulheres amazonicas

DSC_4048_chicExistem muitas realidades das mulheres na Amazonia. E também tem uma grande diversidade de mulheres que moram nessa região de nosso planeta. Aqui uma pequena selecção de mulheres indigenas…

A nave vai – uma excursão amazônica entre extrativismo e o Bom Viver

image_miniTambém o Podcast +1café ficou intrigado com o projeto A Nave vai. “Parece ser um tema exótico para um podcast alemão-brasileiro, mas tivemos boas desculpas para esse programa,” justificava o equipe de +1café de realizar um programa no Ecuador. “No dia 18 de maio, um grupo de comunicador@s indígenas embarcou para documentar as diversas realidades de vida na Amazônia. A viagem vai de Puyo, no Equador, passando por Iquito, no Peru, até a cidade amazônica de Tefé, no Brasil…”

Jovens exploradores farão intercâmbio pela região Amazônica

rios_da_amazonasNo dia 15 de maio 2015, o programa Nacional Jovem da EBC conversou com Vanessa Cruz, coordenadora do projeto “A Nave Vai – uma viagem de exploração entre o Extrativismo e o Bem Viver”, um projeto que envolve um grupo de jovens comunicadores da mídia Amazônica oriundos de comunidades indígenas e tradicionais do Equador, Peru e Brasil que realizarão uma viagem de intercâmbio pelas cabeceiras da Amazônia.

Inicio da viagem do Jhanderson

mxmxmxEu, Jhanderson Moraes tenho 25 anos. Nasci na cidade de Tefé no estado do Amazonas. Hoje moro em Manaus. Fiquei muito feliz de ser um dos escolhidos para participar do projeto “A Nave Vai” onde irei percorrer três países da América do sul, Equador, Peru e Brasil. Quero representar meu povo, minha cultura e levar minhas ideias e minha experiência com Radio, TV, Cinema, Edição e outros.

Começa a viagem da Rose…

DSC_3864Eu, Rosiléia Cruz, sou uma Jovem Indígena Comunicadora da etnia Ticuna, da comunidade indígena de Umariaçu II, município de Tabatinga-AM. Estou aqui participando da viajem do projeto “A Nave Vai” no município de Tefé, juntamente com os colegas, Jonas, Janderson, Sílvio e Nils. Decidi viajar com eles para levar um pouco do meu conhecimento para as outras culturas dos três países, Equador, Peru e Brasil.

Preparando nossa viagem

DSC_4187Estamos reunidos no município de Tefé para nossa viagem do projeto “A Nave Vai” onde vamos percorrer três países da América do Sul: Brasil, Perú e Equador. Eu, Jonas vou levar um pouco da minha experiencia com radio, cultura, dança e meu dialeto na línguagem indígena Miranha.

Para Divulgação imediata


muralhaIntercâmbios derrubam fronteiras – este é o lema sob o qual no dia 17 maio de 2015 jovens comunicador@s da mídia amazônica vão começar um projeto excepcional. Durante seis semanas, el@s vão viajar por mais de 1000 km nas cabeceiras da Amazônia. Estarão levando câmeras, aparelhos de foto, equipamento de gravação e um monte de perguntas.